segunda-feira, 28 de julho de 2014

CBVela e COB apresentam nesta terça a equipe que disputa o Evento Teste




Mari Peccicacco

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e a Confederação Brasileira de Vela (CBVela) apresentam nesta terça-feira, dia 29, às 10h, no Rio Yacht Club, em Niterói, a equipe brasileira que disputará o evento teste para os Jogos Rio 2016, na Baia de Guanabara, entre os dias 2 e 9 de agosto.

O Rio Yacht Club será a base da equipe brasileira durante o evento, e será testado como possível base da vela brasileira em 2016. No clube, o COB montou toda a estrutura de apoio para a seleção.



No total, 30 atletas estarão presentes à apresentação, entre eles Robert Scheidt, Bruno Prada, Fernanda Oliveira, Isabel Swan, Jorge Zarif e Martine Grael. O treinador chefe da vela brasileira, Torben Grael, também estará presente, assim como sua comissão técnica.

A equipe brasileira participará do evento-teste com duas embarcações para cada uma das dez classes olímpicas.

Do COB


Fonte: Murillo Novaes







Gestores públicos brasileiros podem enviar sugestões sobre metas de desenvolvimento sustentável





O documento ‘Minuta Zero’, que vai instituir uma nova agenda global de desenvolvimento, está disponível para consulta até 31 de agosto de 2014.

A Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República (SRI/PR) abriu o processo de consulta à ‘Minuta Zero’, documento elaborado pelas Nações Unidas sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Até o dia 31 de agosto, gestores públicos de todo o país podem enviar contribuições ao texto do documento. As sugestões serão analisadas e poderão ser incorporadas no documento final sobre a posição brasileira em relação aos ODS.

O texto final será apresentado na 68° reunião anual da Assembleia Geral da ONU, em setembro, e deve conter metas concretas com prazo de cumprimento sobre temas diversos como: erradicação da pobreza extrema; igualdade de gênero e o esforço por cidades mais inclusivas e sustentáveis.

A nova agenda global de desenvolvimento passa a vigorar a partir de 2016, para os próximos 15 anos. Ela substitui a Declaração do Milênio, firmada por 189 Estados-membros em setembro de 2000, que estabeleceu os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), que deverão ser alcançados até 2015.

Saiba mais sobre a consulta em http://bit.ly/1nGN9AT 
Saiba mais sobre a agenda pós-2015 em www.onu.org.br/especial/pos2015


Fonte: Escritório da ONU Brasil



Rua Moreira César, em Icaraí, será reurbanizada



Rua Moreira Cesar.

Rua Moreira Cesar com o projeto de reurbanização.
A Prefeitura de Niterói apresentará o projeto de reurbanização da Rua Coronel Moreira César, em Icaraí, na próxima quarta-feira, dia 29 de julho, no Clube Central, para moradores, comerciantes e administradores de shoppings e galerias.

A via mais charmosa da cidade, considerada o mais nobre e concorrido polo comercial e de serviços da Zona Sul, receberá investimentos em torno de R$ 12 milhões, recursos do Orçamento Geral da União e do município, para ter os seus 1.027 metros de extensão totalmente revitalizados. O objetivo é promover a urbanidade, a acessibilidade e incentivar o desenvolvimento local. A previsão é que as obras sejam concluídas em 2016.

O projeto envolve o Escritório Geral de Projetos (EGP), vinculado à Vice-Prefeitura, as secretarias municipais de Urbanismo e Mobilidade; Conservação e Serviços Públicos; Desenvolvimento Econômico; e Acessibilidade, além da Emusa. Também conta com a parceria de entidades empresariais, entre elas a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Sindlojas Niterói e a Caixa Econômica Federal.

A Moreira César ganhará um novo projeto viário, com uma faixa de rolamento e uma de estacionamento, totalizando seis metros, e também uma ciclofaixa em toda a sua extensão. Todos os cruzamentos receberão o sistema “traffic calming”, para dar mais segurança e comodidade aos pedestres na travessia. O piso da rua será nivelado ao da calçada, que terá barras de segurança para impedir a travessia fora da faixa de pedestres.

Outras melhorias que a rua receberá são: instalação de pisos táteis, de acordo com as modernas normas de acessibilidade; 13 bicicletários; padronização de todos os equipamentos e mobiliário, como bancas de flores e de jornais, lixeiras, jardineiras e bancos; nova programação visual para reforçar a identidade da Moreira César.

Haverá, ainda, a substituição de toda a fiação aérea pelo sistema subterrâneo; instalação de novos postes com duas saídas de luz, uma mais alta para a rua e a mais baixa para a calçada; monitoramento permanente por câmeras; acesso livre à internet, com rede wi-fi; instalação de totens multimídia para informação; reforço na limpeza urbana, com ênfase na coleta seletiva de lixo.

A reurbanização da Rua Moreira César vai contribuir com uma maior atividade comercial e de serviços; a via também passará a ter um perfil para a realização de eventos culturais e esportivos; maior uso do espaço público à noite; aumento da renda e de postos de trabalho; melhor mobilidade, segurança e acessibilidade para pessoas com deficiência.

“Esse projeto de reurbanização vai permitir que os comerciantes possam também melhorar seus estabelecimentos, o que vai contribuir ainda mais para a valorização do comércio local e par o fortalecimento da imagem da Moreira César como a rua mais charmosa de Niterói e um exemplo de via moderna e sustentável”, afirma o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Fabiano Gonçalves.


Fonte: Prefeitura de Niterói





sábado, 26 de julho de 2014

Lars Grael conquista o quarto título Sul-Americano na Ilhabela Sailing Week


Ao lado de Samuel Gonçalves, velejador olímpico ganha o campeonato por antecipação nesta sexta. Decisão das demais classes fica para este sábado




Ilhabela (SP) - O inédito Campeonato Sul-americano da classe Star incluindo na Ilhabela Sailing Week terminou nesta sexta-feira (25) com a vitória de um tradicional campeão. Lars Grael levantou o troféu pela quarta vez (2005, 2008 e 201) enquanto Samuel Gonçalves comemorou sua primeira conquista continental. A campanha da dupla em 2014 é incontestável.

Lars e Samuca velejaram durante a semana em uma flotilha de 18 barcos, sendo quatro tripulações argentinas. As presenças do atual campeão Bruno Prada, Guilherme de Almeida, Dino Pascolato e Reinaldo Conrad entre outros, garantiram o elevado nível técnico da competição.

"O Bruno, tricampeão mundial, o argentino Torkel, o Dino são grandes velejadores e tornaram o campeonato difícil para nós. Começamos com um ritmo forte, com três vitórias em quatro regatas, o que nos deixou em posição vantajosa", comentou o campeão Lars. "Hoje (sexta) fomos mais conservadores e ao vencermos a sexta regata, nem precisamos correr a última, descartamos o resultado".

Antes do Sul-americano, a dupla fez com que um barco brasileiro vencesse pela primeira vez a competitiva Bacardi Cup, em Miami, em seguida conquistaram o Campeonato do Hemisfério Ocidental da classe Star. "Por um equívoco da Comissão de Regatas deixamos de ganhar o Mundial de Star", resignou-se Lars, consciente sobre o potencial da dupla com Samuca.

O proeiro credita a vitória na Ilhabela Sailing Week justamente ao treino para o Mundial da Itália. "Não foi um campeonato fácil, mas estamos muito bem treinados devido à preparação para o Mundial. A pressão estava toda em cima da gente", analisou Samuca, que terá mais duas importantes competições para fechar a temporada, o 7º Distrito de Star no Rio de Janeiro e o Brasileiro no Lago Paranoá (DF).




Próximos do título - Enquanto Lars e Samuca comemoram, tripulações de outras classes entram nas regatas finais deste sábado brigando pelo título. Na S40, o Carioca venceu por oito segundos a prova de médio percurso disputada no Canal de São Sebastião com vento de sueste a sudoeste entre 10 e 14 nós (18 a 25 km/h), em um dia cinzento em que a temperatura não ultrapassou os 19ºC. A liderança da classe permanece com o Pajero Mitsubishi que quase conseguiu a ultrapassagem em cima da linha de chegada. A vantagem é de dois pontos, considerando-se o descarte.

"Corremos a regata toda longe do Carioca. No popa final, retornando do norte, recuperamos a velocidade e chegamos no final a dois barcos deles", comentou o comandante do Pajero Mitsubishi, Sérgio Rocha, que elogiou o tático argentino Santiago Lange e a manutenção da equipe vice-campeã mundial de TP52. "Vamos continuar concentrados e torcer para termos uma boa regata neste sábado".

A previsão para o dia decisivo da Ilhabela Sailing Week é de ventos fracos, na direção sul, entre 3 e 4 nós, abaixo de 8 km/h, o que pode dificultar a realização das regatas finais. A largada está mantida para o meio-dia, com tendência de trajetos barla-sota (boia a boia) para todas as classes.

A Ilhabela Sailing Week tem a organização do Yacht Club de Ilhabela e os patrocínios de Mitsubishi Motors, Banco do Brasil e Correios. As regatas no Canal de São Sebastião reunirão embarcações das classes S40, ORC, IRC, C30, HPE-25, RGS, RGS Cruiser, Clássicos e Star, sendo que as regatas de ORC e Star também serão válidas pelo Campeonato Sul-americano de ambas as classes.


Fonte: Ilhabelasw





Mapa de Ameaças Naturais, um aliado para evitar novas tragédias


Estudo da Defesa Civil lista principais fragilidades dos 92 municípios do estado

por Fábio Vasconcelos

O Vale do Cuiabá, em Petrópolis: arrasado na enxurrada de 2011 - Pedro Kirilos / O Globo


RIO - A pouco mais de cinco meses para o início do período de chuvas, um estudo feito pela Defesa Civil do estado pode ajudar as prefeituras a evitar novas tragédias, como a ocorrida na Região Serrana, em 2011, quando mais de 900 pessoas morreram em consequências de um forte temporal. O Mapa de Ameaças Naturais, que será lançado na próxima semana, classifica os principais problemas nas 92 cidades do estado, segundo a percepção dos responsáveis pelas unidades de defesas civis locais. Os deslizamentos (18%), seguidos de inundações (17,8%), alagamentos (14%), enxurradas (11,7%) e incêndios florestais (8,3%) foram apontados com as cinco mais importantes ameaças.

Com o estudo foi possível mapear os problemas por região do estado. A Serra lidera com o maior número de citações com relação a deslizamentos e inundações. Esta é a segunda versão do Mapa de Ameaças (o anterior é de 2012), mas essa é considerada a mais completa pois, pela primeira vez, o estudo obteve respostas dos 92 municípios do estado, contra 84 do primeiro levantamento. A partir da análise, a Defesa Civil iniciará, em agosto, o treinamento das equipes de Defesa Civil de todos os municípios. O objetivo é ensinar a preparar planos de contingência levando em conta as ameaças naturais identificadas em cada cidade.

— Chegamos a 460 ameaças naturais citadas pelos 92 municípios. A partir daí, produzimos os percentuais organizando os rankings das principais ameaças. Isso permitiu identificar as diferenças por região. Queremos chegar em novembro com os planos de contingência prontos, ou seja, um mês antes do início das chuvas — diz o tenente-coronel Paulo Renato Vaz, diretor da Escola de Defesa Civil do estado.

Com relação ao estudo de 2012 a nova versão do mapa não apresenta muita diferença na ordem dos principais problemas, apesar da troca de prefeitos e secretários de Defesa Civil. Esse dado, segundo Vaz, demonstra que o método de identificação das ameças é preciso. A única mudança foi a inclusão da ameaça “chuvas intensas” que não aparecia no estudo de 2012 e agora surgiu como o oitavo maior risco. Já a ameça “corrida de massa-solo, lama ou rocha”, que aparecia na 10ª posição, agora ocupa a 9ª maior ameaça.


Fonte: O Globo





Pedestres aprovam o programa Calçada Livre


Frequentadores do Largo da Batalha e do Centro de Niterói comemoram a facilidade de ir e vir nas calçadas. Projeto foi implantado há 1 ano e meio pela Secretaria de Ordem Pública. Foto Marcelo Feitosa

Patrícia Vivas

Projeto realizado pela Secretaria de Ordem Pública para retirar ambulantes das ruas e desimpedir caminho traz bons resultados para os bairros do Centro, Icaraí e Largo da Batalha

Implantado em janeiro de 2013, o projeto Calçada Livre tem demonstrado efeitos de longa duração na cidade de Niterói. Nos três bairros em que o programa foi implantado com a intenção de retirar os ambulantes que atrapalhavam os pedestres, os moradores e comerciantes alegam estar satisfeitos com o trabalho que vem sendo realizado pela Secretaria de Ordem Pública.

Nas Ruas Moreira César, e Gavião Peixoto, em Icaraí, na Zona Sul de Niterói, já não é possível encontrar ambulantes durante o dia. Na Rua Reverendo Armando Ferreira, no Largo da Batalha, e na Avenida Ernani do Amaral Peixoto, no Centro, os guardas municipais também atuam diariamente. A Secretaria de Ordem Pública destaca que, mesmo à noite, os ambulantes que insistem em ocupar locais proibidos têm o seu material apreendido.

Para o jornaleiro Reginaldo Gomes, de 59 anos, o Calçada Livre no Largo da Batalha foi uma ação necessária e que ajudou o comércio da localidade.

“A operação está funcionando do jeito que foi prometido e os comerciantes e moradores só têm a ganhar com o programa. O movimento de consumidores na minha banca de jornal aumentou muito desde que os ambulantes saíram, já que antes não tinha nem como passar pela rua direito. No entanto, sei que para os ambulantes a situação ficou pior, e se a fiscalização for retirada, eles voltam a ocupar os lugares de antes”, contou Reginaldo.

Para o morador de Icaraí Pedro Henrique de Almeida, a situação também ficou melhor.

“Eu não reparo com muita frequência se há presença de ambulantes, mas sei que passo pela Moreira César diariamente e não preciso ficar desviando de nenhuma barraca, então posso dizer que o resultado é positivo, pois há três anos, quando me mudei pra cá, não era assim”, disse Pedro.

Na Avenida Ernani do Amaral Peixoto, o efeito não é total, mas segundo pedestres, já melhorou bastante. Ainda é possível esbarrar com barracas de pipoca, vendedores de carteiras, doces, entre outras coisas.

“A Amaral Peixoto não é como a das outras ruas do Centro, que tem ambulantes por toda a extensão da via. No entanto, é possível encontrar pessoas vendendo comida e doces, principalmente à noite, mas numa frequência muito menor do que antes. O grande problema da Avenida é nas transversais, mas, se existe a licença para que eles permaneçam naquele local, não há queixas”, disse o consultor Carlos Corrêa, 45 anos.

Em resposta à reportagem, a Seop afirma que a Guarda Municipal está presente durante o dia e com equipes de controle urbano noturno.

“O programa Calçada Livre foi implantado na Avenida Amaral Peixoto e, quando eventualmente ambulantes não licenciados montam suas barracas no local, a mercadoria é de imediato apreendida pela Guarda. O programa Calçada Livre chegará gradativamente às outras ruas do centro da cidade, incluindo rua Visconde de Uruguai, aonde trabalham ambulantes licenciados que passarão por um recadastramento e realocação com o objetivo de garantir o ordenamento”, afirma.


Fonte: O Fluminense




MMA faz consulta sobre estudo de áreas das zonas costeira e marinha




O Ministério do Meio Ambiente (MMA) realiza, até o dia 15 de setembro, consulta para atualizar informações sobre as áreas prioritárias para conservação, uso sustentável e repartição de benefícios da biodiversidade das zonas costeira e marinha, reconhecidas pela Portaria MMA nº 9/2007. O trabalho está sob a coordenação da área técnica do Departamento de Biodiversidade Aquática, Mar e Antártica (DMar/MMA) e visa subsidiar o processo de atualização de informações sobre essas áreas.

Para tanto, o órgão está consultando os principais envolvidos no processo “Áreas Prioritárias de 2007”, com avaliação do impacto dessas informações na formulação de políticas para as zonas costeira e marinha e sugestões para o processo de revisão atual. O público-alvo da consulta são os órgãos ambientais dos estados e municípios costeiros de todo o Brasil, gestores de Unidades de Conservação, pesquisadores de universidades e representantes de organizações não governamentais (ONGs) voltados a atividades nas zonas costeira e marinha, além de superintendências e escritórios do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

ATUALIZAÇÃO

Para participar da consulta, a pessoa designada por cada entidade deve preencher o formulário disponível no endereço eletrônico www.mma.gov.br/biodiversidade/biodiversidade-aquatica/zona-costeira-e-marinha/areas-prioritarias-para-conservacao. O formulário é formado por quatro blocos com os seguintes itens: responsável pelo preenchimento; participação no processo anterior; impacto do mapa atual; e sugestões ao processo de atualização. Depois de preencher todos os campos, é só clicar em “Enviar” para concluir o processo.

A avaliação levará em conta o impacto dessas áreas na formulação e implantação de políticas públicas, programas, projetos e atividades voltados à conservação da biodiversidade; uso sustentável de componentes da diversidade biológica; recuperação de áreas degradadas e de espécies sobre-explotadas (aquelas cuja condição de captura de uma ou todas as classes de idade em uma população são tão elevadas que reduz a biomassa, o potencial de desova e as capturas no futuro a níveis inferiores aos de segurança) ou ameaçadas de extinção. As novas informações permitirão verificar a real utilização e eficiência das áreas prioritárias para conservação.

Fonte original: http://www.mma.gov.br/


Fonte: ECOticias Brasil





Com a Copa, turistas estrangeiros gastaram US$ 797 milhões no Brasil em junho


Uma alta de 75,9% na comparação com junho do ano passado. As transações do Brasil com o exterior registraram déficit de US$ 3,34 bilhões

por




BRASÍLIA - Com a Copa do Mundo, o Brasil registrou um recorde histórico de ingressos de recursos de turistas estrangeiros que vieram ao país. Dados divulgados pelo Banco Central nesta sexta-feira mostram que os viajantes estrangeiros deixaram US$ 797 milhões no país no mês de junho, uma alta de 75,9% na comparação com os US$ 453 milhões registrados em junho do ano passado. Essa foi a maior receita na análise mensal desde o início da série histórica do Banco Central, em 1947.

No acumulado de janeiro a junho, o total gasto pelos estrangeiros no Brasil chega a US$ 3,64 bilhões – uma alta de 4,8% ante os US$ 3,48 bilhões registrados no primeiro semestre de 2013.

As despesas de brasileiros no exterior também bateram recorde e chegaram a US$ 2,0 bilhões em junho, uma alta de 4,9% na comparação com o valor de US$ 1,90 bilhão gasto pelos brasileiros em viagens fora do país no mesmo mês de 2013. No primeiro semestre, o montante deixado lá fora também foi recorde e chegou a US$ 12,48 bilhões – 2,3% a mais que os US$ 12,20 bilhões registrados nos seis primeiros meses do ano passado.

O chefe-adjunto do Departamento Econômico do Banco Central, Fernando Rocha, destacou que a entrada de mais receitas com viagens contribuiu para uma redução de 17,3% nas despesas líquidas com viagens internacionais – com gasto líquido de US$ 1,2 bilhão em junho.

— Esse aumento de receitas ocorreu por causa do afluxo de turistas estrangeiros ao Brasil, por ocasião da Copa do Mundo — disse o chefe-adjunto.

Ele destacou que o resultado parcial para julho também aponta para um crescimento significativo na entrada de recursos. Até 23 de julho, a entrada de receitas com viagens cresceu cerca de 50% na comparação com o mesmo período do ano passado.

— As receitas de viagens internacionais no semestre, de US$ 3,64 bilhões, também representam o maior valor da série histórica para o período. Essa influência da Copa nas viagens internacionais, embora concentrada no fim do semestre, foi de uma magnitude que permite que o resultado (do semestre) seja o maior para toda a série — afirmou.

Em junho, o Brasil registrou déficit de US$ 3,4 bilhões na conta de serviços, 4,5% acima do valor registrado no mesmo mês de 2013.

TRANSAÇÕES CORRENTES

As transações do Brasil com o exterior registraram déficit de US$ 3,34 bilhões em junho – contra um déficit de US$ 3,88 bilhões apurado no mesmo mês do ano passado. O resultado contribuiu para um déficit de US$ 43,31 bilhões no acumulado dos seis primeiros meses, ante US$ 43,18 bilhões no mesmo período do ano passado. Esses números, que formam a conta de transações correntes, consideram balança comercial, balança de serviços e transferências unilaterais, como doações e remessas de lucro.

— Houve uma menor despesa líquida de viagens em junho, o que ajuda a explicar o resultado das transações correntes. Outro ponto que ajuda a explicar o resultado é uma redução nas despesas com juros e uma redução na conta de lucros e dividendos — afirmou o chefe-adjunto do Departamento Econômico do Banco Central.

— Essa redução de lucros e dividendos está ligada a uma atividade econômica em moderação e a uma taxa de câmbio mais depreciada — acrescentou.

O Banco Central projeta um déficit em transações correntes para julho de US$ 6,7 bilhões de dólares. Em julho do ano passado, o saldo negativo ficou perto de US$ 9 bilhões. Se a projeção se confirmar, o resultado de julho permitirá, segundo o chefe-adjunto do Departamento Econômico do BC, que haja uma redução, pelo seguindo mês seguido, no déficit em transações correntes acumulado em 12 meses.

— Caso a projeção do Banco Central esteja certa, teremos uma nova redução do déficit em transações correntes em 12 meses, para algo perto de US$ 78,9 bilhões — disse Rocha, que observou que o déficit em 12 meses está em US$ 81,1 bilhões.

Os números do Banco Central mostram ainda que o ingresso líquido de Investimento Estrangeiro Direto (IED) atingiu US$ 3,9 bilhões no mês passado. Nos 12 meses encerrados em junho, os ingressos líquidos de IED somaram US$ 63,3 bilhões, o que equivale a 2,79% do PIB.


Fonte: O Globo


------------------------------------------

LEIA TAMBÉM:

Niterói recebeu 119 mil turistas durante a Copa
Neltur e UFF liberam resultado parcial de pesquisa sobre turismo na cidade na época da Copa do Mundo
Número de turistas supera projeção feita sobre a Copa do Mundo
Torcida francesa ‘invade’ Niterói
Turismo em Niterói supera as expectativas durante a Copa
Niterói ganha sotaque latino durante a Copa
Texto de Lars Grael analisa o resultado da Copa do Brasil: "JUSTA E MERECIDA VITÓRIA".
Lars Grael: "Com esta Copa, acaba por ruir a Velha República do esporte brasileiro"




Programa de pavimentação e drenagem vai chegar ao Cafubá e à Fazendinha, na Região Oceânica de Niterói

 
 
Rua recentemente pavimentada na Região Oceânica.



Nova etapa vai beneficiar 24 ruas. Ao todo serão investidos mais R$ 35 milhões nessas áreas da Região Oceânica

A Prefeitura de Niterói vai investir mais R$ 35 milhões em drenagem e pavimentação da Região Oceânica. Iniciado em 2013, o programa, que já entregou 40 ruas e tem como meta, apenas em 2014, concluir 140, terá nova fase iniciada ainda em 2014, beneficiando 24 ruas dos bairros Cafubá e Fazendinha, que deverão ser entregues no primeiro semestre de 2015.

O prefeito da cidade, explicou como será essa nova etapa:

“Em 2013 foi estruturado um programa de drenagem e pavimentação da Região Oceânica, em parceria com o estado, e que é o maior programa de infraestrutura urbana da história da região, com mais de R$ 100 milhões investidos (R$ 20 milhões da prefeitura e R$ 80 milhões do estado) e cujo objetivo é beneficiar, até o fim de 2014 de 140 ruas na região. Até agora, já foram entregues 40 ruas. Até o fim de setembro serão entregues as ruas do Bairro Peixoto e a primeira etapa do programa será concluída até dezembro deste ano.”

Com o término da primeira etapa, uma nova parceria, dessa vez com o governo federal, permitirá ações em 24 ruas de duas importantes áreas da Região Oceânica.

“Vamos anunciar a contratação de novos investimentos para o Cafubá e a Fazendinha. Os recursos serão municipais e federais (R$ 25 milhões do município e R$ 10 milhões da União). O projeto será apresentado aos moradores dessas regiões em agosto e lançaremos o edital de licitação das obras que deverão ser contratadas e iniciadas até o fim deste ano”, antecipa o prefeito.

O chefe do Executivo municipal revela que a nova administração da prefeitura busca preparar a Região Oceânica para o futuro e vai realizar toda a drenagem e pavimentação da área até 2016:

“A nova gestão da prefeitura tem uma visão mais integrada e holística das políticas públicas e da cidade. Por isso estruturamos um programa robusto de investimentos na Região Oceânica de Niterói, abandonada há décadas. Através das parcerias com os governos federal e estadual, e com recursos próprios, vamos fazer a drenagem e a pavimentação em todos os bairros da Região Oceânica até 2016. Em poucos meses de trabalho superamos décadas de abandono em Piratininga. O que foi feito lá será feito em todos os demais bairros da RO”, disse Neves.

As ruas que serão drenadas e pavimentadas na nova etapa do programa de drenagem e pavimentação são:

No Cafubá: Rua das Garças; 424; Luiz Erthal; Tenente Aviador Carneiro Filho; Francisco Cases; Demócrito da Cunha Silveira; Acácio Erthal; 420; maestro Carlos de Souza; promotor Fernando Fernandes; Dr. Godofredo Garcia Justo; Dr. Salomão Vergueiro da Cruz; vereador Luiz Botelho; Osíris Pitanga; e Valter Madeira.

Na Fazendinha: Maria Falcão; Darwin Martins; Diomar Raimunda; governador Padilha; Mario Barbosa; Luiz Raimundo Tavares de Macedo; Saturno; Valdir Costa; e Aquarius.

Fonte: Prefeitura de Niterói


----------------------------------------------------

LEIA TAMBÉM:

- PROJETO REGIÃO OCEÂNICA SUSTENTÁVEL: Niterói recebe primeira missão oficial do CAF
- PRO-SUSTENTÁVEL - PREFEITURA DE NITERÓI CAPTA RECURSOS PARA NOVO PROJETO PARA A SUSTENTABILIDADE DA REGIÃO OCEÂNICA
- Licença ambiental da TransOceânica é aprovada pela CECA
- Prefeitura de Niterói vai investir R$ 70 milhões em Saúde, Educação, Ordem Pública e Mobilidade
- Prefeitura de Niterói e governo estadual inauguram obras de pavimentação e drenagem na Região Oceânica
- TransOceânica: obras do corredor viário serão iniciadas em setembro
-