segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Evento comemora o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência


Objetivo do evento foi promover a inclusão e confraternização de pessoas com deficiência. Foto: Evelen Gouvêa


Pedro Conforte

No Campo de São Bento, Coordenadoria de Acessibilidade e instituições do município promoveram inclusão e confraternização de pessoas com deficiência

Em comemoração ao Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, aconteceu neste sábado, no Campo de São Bento, em Icaraí, um evento realizado pela Coordenadoria de Acessibilidade, em parceria com diversas instituições do município. O objetivo foi promover a inclusão e confraternização de pessoas com deficiência.

Para o subsecretário de Acessibilidade, Gustavo Carvalho, o evento teve muita aceitação da população. “O público está cada vez mais receptivo com as atividades integradas que realizamos nos eventos espalhados pela cidade, como esse de hoje (sábado)”, pontuou Gustavo Carvalho.

Ao longo das 4 horas de evento – de 9 horas às 13 horas – os presentes tiveram acesso a diversas atividades promovidas pelos envolvidos como serviços de maquiagem, cortes de cabelo, aferição de pressão e glicose, atendimentos sociais e jurídicos e recreação infantil. Além disso, houve apresentações de danças e artesanato.

“Estamos sempre participando. Temos que mostrar que os deficientes podem fazer qualquer atividade, esse paradigma precisa ser quebrado. Deficiência não é sinônimo de tristeza”, afirmou o presidente da Associação Niteroiense dos Deficientes Físicos (Andef), Guilherme Meyer Ramalho.

Entre as apresentações artísticas, o público pode apreciar a banda da Apae, o grupo Corpo em Movimento, o basquete sobre rodas, o grupo Dançarte, o Projeto Gugu e o Grupo Arte de Dançar, além de capoeira com o Mestre Bujão.

“Através da parceria com outras instituições oferecemos vários serviços que nem sempre os cidadãos têm acesso”, disse o subsecretário.

Fonte: O Fluminense





Biotropica publica edição especial sobre ecossistemas brasileiros




Agência FAPESP – A revista científica Biotropica publicou edição especial intitulada "Biologia e Conservação dos Ecossistemas Brasileiros”, com artigos open access de pesquisadores que atuam no Brasil e em outros países.

Publicada pela Association of Tropical Biology and Conservation, a Biotropica é um dos principais periódicos científicos internacionais sobre ecologia, conservação e gestão dos ecossistemas tropicais e evolução, comportamento e biologia populacional de organismos tropicais.

O editor-chefe da publicação, Emilio Bruna, professor de Ecologia Tropical e Estudos Latino-americanos na University of Florida, nos Estados Unidos, e diretor do Florida-Brazil Linkage Institute, apresentou a edição, lembrando que o Brasil sempre exerceu fascínio sobre os naturalistas. “Muitos estarão familiarizados com os escritos de [Charles] Darwin, [Alfred Russel] Wallace, [Theodore] Roosevelt, [Alexander] von Humboldt e [João Teodoro] Descourtilz descrevendo suas experiências formativas neste vasto e exuberante país”, disse na introdução do periódico.


Periódico reúne artigos open access de pesquisadores de diversos países


“O Brasil continua a ser uma inspiração para os biólogos contemporâneos, resultando em uma literatura sofisticada que nos permite avançar na nossa compreensão dos fatores ecológicos e evolutivos que estruturam ecossistemas tropicais, documentando as ameaças à sua continuidade e descrevendo estratégias inovadoras para a sua conservação.”

Os artigos reunidos destacam os ecossistemas e a biodiversidade única do Brasil, as abordagens utilizadas na sua compreensão e conservação e a diversidade de estudos na área. “Você vai encontrar trabalhos sobre a Amazônia e a Mata Atlântica, claro, mas nós esperamos que aqueles menos familiarizados com o Brasil aproveitem a oportunidade de ler sobre biomas menos conhecidos, como a Caatinga, a floresta de araucária e o Cerrado”, disse Bruna.

A edição está disponível para acesso no site da editora Wiley.


Fonte: Agência FAPESP



domingo, 21 de setembro de 2014

Circuito Brasileiro de Vôlei se despede de Niterói


Na categoria feminina o pódio ficou da seguinte maneira: primeiro lugar Larissa e Talita - segundo lugar Juliana e Maria Elisa - terceiro lugar Maria Clara e Carol. Foto: Divulgação/Confederação Brasileira de Voleibol

Com vitória sobre Juliana e Maria Elisa, atuais líderes do ranking mundial, Talita e Larissa foram campeãs do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia, disputado na Praia de Icaraí. Foto: Divulgação/ Confederação Brasileira de Voleibol

Talita vibra durante partida neste domingo. da seguinte maneira: primeiro lugar Larissa e Talita - segundo lugar Juliana e Maria Elisa - terceiro lugar Maria Clara e Carol. Foto: Divulgação/Confederação Brasileira de Voleibol

No pódio masculino Alison e Bruno ficaram em primeiro lugar, Ricardo e Emanuel, em segundo e Allison e Guto ficaram com a terceira posição. Foto: Divulgação/Confederação Brasileira de Voleibol

Guto e Allison ficaram com o bronze no masculino. Foto: Divulgação/Confederação Brasileira de Voleibol


Vinicius Rodrigues

Mesmo com dia chuvoso, público que foi prestigiar o evento na Praia de Icaraí não se decepcionou e lotou a arena para poder conferir de perto as disputas emocionantes

O público que compareceu à arena montada na Praia de Icaraí, na Zona Sul de Niterói, para assistir as finais do último dia de competição do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia, não se decepcionou. Isso porque, na final feminina, Juliana e Maria Elisa, atuais líderes do ranking mundial, enfrentaram Talita e Larissa, algozes nas últimas quatro partidas entre as duplas. Do outro lado, Ricardo e Emanuel enfrentaram Alison e Bruno Schmidt. Sobrou emoção, nervos à flor da pele e muita vibração da torcida em duas horas de disputas, que terminou com Talita e Larissa campeãs no feminino e Alison e Bruno campeões masculino da etapa niteroiense.

Debaixo de uma garoa que permaneceu durante todo o dia, Maria Elisa começou o set sacando e conseguiu um ace. A vibração contida demonstrou os nervos à flor da pele das atletas. Larissa e Talita forçavam os ataques no fundo da quadra, dificultando a defesa das adversárias. Disputando ponto a ponto, Juliana começou a se destacar na partida, com boas variações dos ataques. Quando a partida estava 8 a 5, o primeiro protesto das duplas. Juliana e Larissa foram disputar uma bola no alto e Larissa acabou tocando na rede, o que gerou irritação da Talita.

“Brincadeira isso, hein”, protestou Talita. Após pedido de tempo, ela e Larissa tentavam diminuir a distância no placar, que já era de quatro pontos. E conseguiram. Com frieza e troca de posições em quadra, elas empataram a partida em 10 a 10. Como Juliana e Larissa já haviam jogado juntas, os detalhes de conhecimento entre as adversárias começaram a fazer vantagem para a dupla Talita e Larissa, que viraram a partida. A treinadora Letícia Pessoa pediu tempo e muito irritada pediu concentração para as comandadas Juliana e Maria Elisa.

O público, que lotou a arena – a exemplo dos outros dois dias de competição – incendiava a partida com muitos gritos e vibrações em cada rali disputado entre as duplas. Juliana e Maria Elisa, que até então tomaram a virada e perdiam por três pontos de diferença, viraram o jogo pela segunda vez e abriram 17 a 16, mas não durou por muito tempo, elas tomaram a virada e com 20 a 19 para as adversárias, tentaram salvar dois set points. Em vão, Talita e Larissa fecharam o primeiro set em 22 a 20, em 23 minutos.

No segundo set, nova polêmica. Quando o jogo estava 7 a 6 para Larissa e Talita, o juiz Marcos Braga marcou infração após um passe da Talita, porque o passe foi feito com a ponta dos dedos e não com a palma da mão, gerando dois toques. Larissa foi até o juiz e protestou, ouvindo do árbitro que ela deveria voltar para o jogo e que ele era autoridade. Após garantir o ponto seguinte, Larissa olhou para o árbitro e vibrou muito.

Mais concentradas e agressivas, Talita e Larissa abriram seis pontos de diferença. Do outro lado, Maria Elisa perdia potência no saque, facilitando a defesa das adversárias. Com 18 a 12 no placar, era visível o desânimo da dupla líder do ranking mundial. Apenas administrando a vantagem no placar, Talita e Larissa tiveram o match point com 20 a 13 e, após saque de Talita, Juliana recebeu errado, dando a quinta vitória seguida para as adversárias e o título da etapa em Niterói, a exemplo do que aconteceu na etapa anterior, em Vitória (ES).

Titãs

Após o título feminino da Talita e Larissa, foi a vez de Ricardo e Emanuel e Alison e Bruno Schmidt entrarem em quadra para a melhor partida do dia. O confronto estava em lados opostos na rede. Com 2 metros, Ricardo enfrentava Alison, três centímetros mais alto. O primeiro ponto para Alison e Bruno saiu após um rali contra a dupla adversária. Alison, que jogou durante quatro anos com Emanuel, sacou contra seu ex-parceiro pelo meio, uma das dificuldades de Emanuel, conseguindo um ace, fazendo 9 a 5.

As duplas mostravam porque estavam entre os melhores do mundo. Paralelas, diagonais, bloqueios e defesas, de todos os tipos, incendiavam os torcedores presentes. Tentando frear Alison e Bruno, que estavam com 13 a 8 no placar, Ricardo e Emanuel buscavam trocar de posições e abandonar a marcação, mas encontravam um Bruno inspirado, abusando das bolas de segunda e dos saques potentes, dificultando a defesa adversária. O set point veio com 20 a 13. Após deixada para fora de Ricardo, Alison e Bruno fecharam o primeiro set.

No segundo set, Emanuel e Ricardo mudaram a estratégia sacando em cima do Alison. Deu certo. Emanuel estava mais agressivo no ataque e Ricardo passou a sobressair nos bloqueios, conseguindo abrir cinco pontos de vantagem, fazendo 12 a 9. Alison, a exemplo do dia anterior, começava a mostrar descontrole emocional com os erros da sua dupla e reclamava claramente com Bruno. Experientes, Emanuel e Ricardo se aproveitaram da situação e fecharam o segundo set em 21 a 14, levando a partida para o tie-break.

Um rali emocionante no início do set, que durou impressionantes 15 segundos, mostrou que o jogo teria mais emoção. Bruno resolveu mostrar para a sua própria dupla que seu descontrole era inútil e passou a desequilibrar o jogo, abrindo a partida em 5 a 1. Parada técnica e irritação de Emanuel com seus próprios erros. Voltando melhores, Ricardo e Emanuel diminuíram a diferença no placar para 7 a 3, mas com alguns erros, Bruno e Alison fizeram 13 a 10 e passaram a administrar a vantagem, fechando o jogo em 15 a 12, levando o título da etapa em Niterói, o quinto da dupla e o primeiro na temporada nacional.

Na decisão do terceiro lugar, no feminino, Maria Clara/ Carol fizeram 2 a 0 em Ágatha/Bárbara. Já no masculino, Alison e Guto superaram Pedro Solberg e Álvaro Filho e completaram o terceiro lugar no pódio.

A próxima etapa do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia, terceira da temporada 2014/2015, acontece em Campinas (SP) entre os dias 17 e 19 de outubro.

Torcida dá espetáculo

Nem mesmo a chuva e o frio foram capazes de afastar o público da arena montada na Praia de Icaraí, após 12 anos da última recepção do campeonato. Munidos de guarda-chuvas e guloseimas, os niteroienses mostravam porque eram considerados pelos organizadores do evento como um dos melhores públicos da competição. Para o casal Helena e César Santiago, a emoção de assistirem a uma final era grande.

“Eu estou muito feliz. Vim todos os dias e não poderia deixar de ver a final. Seria como fazer o bolo e não comer”, divertiu-se Helena. César disse que jogou vôlei de praia na adolescência, mas voltar a uma quadra, ainda que fosse para assistir, seria uma emoção diferente: “fui atleta amador, nem se compara com esses monstros que estão aqui, mas bate uma saudade”, confessou.

Do lado de dentro da arena, os torcedores – que tiveram a entrada franca – embalados pelas músicas, cantavam e vibravam até com pedido de tempo dos atletas. Valia tudo para empurrar suas duplas preferidas em busca do título. Além disso, a possibilidade de ganharem brindes dos organizadores por causa das melhores performances, eram encarados com seriedade pelo público.

Crianças e muitos casais compareceram ao jogo. Foi o caso da família Meirelles. Marcos, Patrícia e os filhos Leandro e Thiago, foram vestidos com camisas da seleção brasileira de vôlei. Animados, eles dividiam opiniões sobre quem poderia ganhar os títulos feminino e masculino. Apesar das dúvidas, celebraram juntos a oportunidade de assistirem um espetáculo em quadra.


Fonte: O Fluminense


----------------------------------------------

LEIA TAMBÉM:

Visita à arena do Circuito Banco do Brasil de Vôlei de Praia, em Icaraí
Niterói respira vôlei de praia a partir de hoje
A AGENDA ESPORTIVA DE NITERÓI ESTÁ ACELERADA!!! Veja a programação!
Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia retorna a Niterói
CIRCUITO BANCO DO BRASIL DE VOLEI DE PRAIA: Niterói volta a receber uma etapa após 12 anos com mescla de gerações
Campeonato de skate vai reunir 5 mil pessoas na Boa Viagem





Skate e cultura urbana invadem a Boa Viagem, em Niterói


Mesmo com chuva evento foi realizado e competição de skate foi mantida. Foto: André Redlich

Neste domingo foi realizada na Boa Viagem, em Niterói, a 3ª edição do “Niterói SK8 Downhill – Festival de Cultura Urbana”. Além da competição de skate, evento teve participação de DJ’s e MC’s representando a cultura urbana. Foto: André Redlich


Ana Paula Soares

Mesmo sob chuva, Niterói SK8 Downhill – Festival de Cultura Urbana, foi realizado. Além de praticantes de esporte, evento contou com participação de DJ’s e batalha de MC’s

Mesmo debaixo de uma chuva fina e constante, aconteceu neste domingo, na Boa Viagem, em Niterói, a 3ª edição do “Niterói SK8 Downhill – Festival de Cultura Urbana”. A iniciativa faz parte do calendário de eventos da cidade e está inserida na Slide Liga Brazil, tendo o presidente da Liga, Kauê Mesaque, como um de seus três juízes (o que faz essa etapa ser válida para o campeonato nacional). O encontro esportivo e cultural aconteceu na rampa e no pátio do Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC). Foram disponibilizadas 115 vagas e o evento, até o momento do fechamento desta matéria, contava com 90 atletas inscritos.

“A previsão do tempo já não era animadora e tivemos muita dificuldade com isso, pois era uma decisão complicada porque a maioria dos atletas já tinha comprado passagem e feito reservas para ficar em Niterói. Decidimos, então, manter o evento, preservando sempre a segurança dos atletas e, se a chuva apertasse, teríamos a bateria suspensa até diminuir. Se não houvesse condição de retomá-la, ela seria cancelada. Esse tempo pode inibir o público, mas os atletas conseguem praticar e exibir o seu desempenho”, afirmou George Balboa, um dos idealizadores por trás do evento.

A Cidade Sorriso é a quinta etapa entre sete que acontecem em municípios espalhados pelo Brasil e atingiu essa credibilidade por uma série de requisitos, como cenografia, os responsáveis técnicos do campeonato, os apoiadores e o número de atletas amadores ou profissionais inscritos. Dividido em duas modalidades: downhill longboard (com skates maiores) e downhill slide; as categorias são: iniciante, amador, master e feminino.

“Niterói foi parar no circuito nacional através de um projeto, feito com a união de várias forças, e é um orgulho para a gente fazer parte da Slide Liga Brazil, um circuito referência, com as melhores modalidades, nas quais, agora, Niterói está inserida. Nossa etapa já é privilegiada pela localização, com essa vista incrível. Fazemos tudo sem visar lucro e estamos felizes com o resultado”, falou George.

A categoria principal do dia é a amadora, porém era a iniciante que tinha mais inscritos: 35 skatitas.

“Os critérios de julgamentos são bem simples: estilo, grau de dificuldade da manobra, aproveitamento de pista e velocidade. Conforme o tempo passa, está mais difícil de julgar. Os atletas estão ficando melhores e mais desafiadores”, avaliou um dos juízes do campeonato e campeão brasileiro de 2012, o atleta profissional de downhill longboard Diego Polito.

Uma grande inspiração para os jovens da competição é o pentacampeão mundial de downhill, Sergio Yuppie, que já esteve na cidade competido e, ano passado, julgando os atletas.

“Sempre que eu posso venho a Niterói. Já estive aqui competindo em um campeonato brasileiro e para mim é sempre uma honra. Ainda bem que o evento aconteceu, estou adorando. Continuo viajando dentro e fora do Brasil para divulgar e incentivar o esporte. O nível está alto, com cada vez mais estilo, sem contar no número de mulheres que vem aumentando. O skate é o segundo esporte mais praticado no país e isso é um orgulho para mim”, enfatiza Sergio, que há quatro anos parou de competir, mas pratica por hobby.

A programação do “Niterói SK8 Downhill – Festival de Cultura Urbana” foi extensa e incluiu a Batalha do Conhecimento, idealizada por MC Marechal como alternativa ao modelo tradicional das batalhas de MC´s; a Família Conjuntivite, com a participação da SSM, Oriente, Caixa Baixa, Chakras, DJ RK e os MC's LC e LM; e animação com vinil durante os intervalos com o coletivo Vitrolinha (DJ's Tata Ogan e Liz Tibau). Um dos destaques foi a exposição da fotógrafa Clarissa Mattos (“Urbanidades”, série de imagens de Street Art iniciada em Nova Iorque), além do grafite feito ao vivo em esculturas que irão compor o cenário, criadas especialmente para o evento com Andréa Paula AP, Justin Phame e Marcelo Melo.

“A gente tentou reunir o trabalho de artistas independentes de Niterói e dar a eles o destaque que eles merecem. Niterói é uma cidade com uma potência artística muito forte, principalmente no meio da cultura urbana. É importantíssimo a gente valorizá-los os artistas), pois muitos são da cidade e estão fazendo muito sucesso fora dela”, avalia a diretora da Doces Produções (que realizou o evento) e idealizadora do evento, Thayza de Oliveira Gomes.

Fonte: O Fluminense




Visita à arena do Circuito Banco do Brasil de Vôlei de Praia, em Icaraí

 



21/09/2014 - A arena do Circuito Banco do Brasil de Vôlei de Praia, montada na Praia de Icaraí, Zona Sul da cidade, recebeu a visita do prefeito neste sábado (20/9). O evento, que há 12 anos não acontecia no município, trouxe para Niterói estrelas desta modalidade esportiva e animou o público, que pode assistir aos jogos gratuitamente. 

O chefe do Executivo municipal destacou a importância da cidade voltar a receber o circuito de vôlei de praia, que começou na sexta-feira e termina neste domingo.

"Há um ano conversei com a Superintendência do Banco do Brasil sobre trazer de volta para cidade o circuito e a ideia foi muito bem aceita. O evento está com muita qualidade, como o niteroiense espera, além do alto astral e o clima familiar. Este final de semana está sendo especial para a cidade com o circuito do Banco do Brasil, depois de muitos anos. Temos trazido eventos esportivos para Niterói e essa, sem dúvida alguma, é uma das mais importantes competições do país hoje realizada em Niterói, isso é muito bom para a cidade", afirmou o prefeito, que estava acompanhado do vice-prefeito Axel Grael e do secretário municipal de Esporte e Lazer, Bruno Souza.

A volta do circuito de vôlei para Niterói também foi comemorada pelo jogador Emanuel, campeão olímpico nas Olimpíadas de Atenas, em 2004. Ao lado do parceiro Ricardo, a participação da dupla em um jogo na tarde de sábado era uma das mais aguardadas pelo público.

"O vôlei de praia sempre foi muito tradicional na Praia de Icaraí. Lembro que na década de 90 participei de muitos jogos aqui. Estou muito feliz de jogar na cidade e para todos esse evento tem sido importante porque desde o primeiro dia as arquibancadas sempre estão cheias de pessoas que gostam do esporte e se divertem. Eu particularmente gosto muito de jogar em Niterói porque as pessoas sabem o que é o esporte, numa praia em que todo mundo faz esporte. Eu me divirto muito e espero que todos possam curtir a etapa aqui de Icaraí e espero que todo ano o circuito aconteça na cidade", disse o atleta.

Na arena, o prefeito foi recebido pelo superintendente do Banco do Brasil, Reinaldo Yokoyama, e o gerente de competições de praia da Confederação Brasileira de Voleibol, Oscar Charbel.
Fonte: Prefeitura de Niterói




Projeto de revitalização do antigo do Cinema Icaraí avança


Espaço terá centro cultural, com sala de música, cinema e ambiente para exposição de arte, além de área de lazer. Foto: Divulgação

Pedro Conforte

Espaço será transformado em um ambiente multiuso, com sala de música, cinema e salas de exposições de arte. Anteprojeto tem previsão para ser concluído ainda nesta semana

Um das partes mais delicadas da realização do projeto de revitalização do Cinema de Icaraí, realizado pela Universidade Federal Fluminense (UFF), está próxima de ser concluída. A primeira etapa, ou anteprojeto, que tem como objetivo investigar toda a estrutura e fazer levantamentos para que seja mantida a identidade do prédio, tem previsão de ser entregue ainda essa semana pela empresa Retrô - Projetos de Restauro Ltda., que foi contratada para elaboração dos projetos.

De acordo com Denise Nogueira, arquiteta da Superintendência de Arquitetura e Engenharia da UFF, responsável pelo acompanhamento do trabalho, esse primeiro passo é muito delicado e crucial para a continuidade da revitalização. “Essas fases são demoradas, pois se precisa fazer uma investigação minuciosa e não há registros para se basear. Por isso, foi montado um pequeno escritório apenas para investigar o prédio. Uma das grandes dificuldades, por exemplo, está sendo descobrir a imagem de uma luminária interna do salão principal. Quem tiver imagens antigas do prédio pode entrar em contato com a UFF, que será de grande ajuda”, explicou a arquiteta.

Denise Nogueira ressaltou ainda, que essa semana, será entregue esse documento, que passará por uma revisão. “A partir desse anteprojeto, poderá ser dada sequência nas outras duas etapas que são o projeto básico e executivo. A previsão é que em dezembro todas as três fases estejam concluídas”, relatou ela, que lembrou que só depois da conclusão do projeto que iniciará a licitação para o início das obras.

O ‘novo’ Cinema Icaraí - A previsão é que o Cinema Icaraí seja transformado em um espaço multiúso, que terá um centro cultural, com sala de música, cinema e salas de exposições de arte; um centro de lazer, com espaços de convivência, alimentação, recreação e salas para ensaios e apresentações; e um espaço para salas empresariais. “Ainda haverá um cinema dentro do prédio. Mas agora não será apenas isso, será um lugar para as pessoas poderem vivenciar a cultura”, explicou Denise Nogueira.

Fonte: O Fluminense



CAMPEÃS MUNDIAIS! FOTOS DA VITÓRIA DE MARTINE GRAEL E KAHENA KUNZE


MARTINE GRAEL E KAHENA KUNZE SÃO AS PRIMEIRAS CAMPEÃS MUNDIAIS DA VELA BRASILEIRA

É ouro!!!!

Comemoração...

Logo após cruzar a linha de chegada em triunfo, Martine e Kahena chegam nadando para a entrevista com a imprensa.

Centro das atenções.

Saudando o numeroso público que foi à marina assistir às regatas.

Alegria...

Comemoração...
 
Festa...

Pódio.

REGATAS DISPUTADAS





SINTONIA - DUPLA INTEGRADA


Andando sobre as águas? Martine e Kahena fazem poses nas águas da Bahia de Santander.


--------------------------------------------------------

LEIA TAMBÉM:

É OURO!!! MARTINE GRAEL E KAHENA KUNZE SÃO CAMPEÃS MUNDIAIS
Assista ao vídeo com Torben, Martine e Kahena no Esporte Espetacular
MARTINE GRAEL E KAHENA KUNZE SÃO OURO NO AQUECE RIO
VITÓRIA! Aquece Rio: Martine e Kahena faturam o título na 49erFX
Martine Grael e Kahena Kunze assumem a liderança na Classe 49erFX, no Aquece Rio
Niterói recebe Delegação Brasileira de Vela
Rio Yacht Club é avaliado esta semana pelo COB como base da seleção para os Jogos de 2016
Espírito de grupo: velejadoras se unem por nova medalha feminina nos Jogos
Rio Yacht Club, de Niterói, um dos mais tradicionais clubes náuticos do país, será a base principal da Equipe Brasileira de Vela
Assista à matéria do Bom Dia Brasil com Torben e Martine Grael
Torben Grael admite que lixo em raia olímpica pode definir medalha nos Jogos de 2016
Seleção Brasileira de Vela é apresentada em Niterói
CBVela e COB apresentam nesta terça a equipe que disputa o Evento Teste
Martine e Kahena ditam o ritmo da 49erFX no mundo







Após crescer 18% nos últimos 4 anos, licenciamento de veículos desacelera em Niterói




Publicado em: 20/09/2014

Os congestionamentos são, há muito tempo, uma das principais reclamações de quem mora em Niterói. E nos últimos anos, a sensação de que o trânsito tem piorado, atinge a maioria dos niteroienses. À medida que a frota de veículos cresce na cidade, alternativas são criadas para amenizar os problemas diários. De acordo com o Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro (Detran), o número de veículos no município aumentou 18% nos últimos quatro anos. Como alternativa, a busca pelas motocicletas aumentou 12,75%.

Vias exclusivas para coletivos, ciclofaixas, ciclovias, mergulhão, Transoceânica, túnel Charitas-Cafubá, pistas reversíveis, alternativas estão sendo criadas para resolver o problema da mobilidade urbana. Dados do Detran informam que no ano de 2010, cerca de 233.530 veículos integravam a frota de Niterói. Nesse ano de 2014, os números subiram para 276.551.

"...o número de veículos no município aumentou 18% nos últimos quatro anos. Como alternativa, a busca pelas motocicletas aumentou 12,75%".

“É incrível. Hoje em dia todo lugar que você vai tem engarrafamento. E o momento do dia independe. Um dia desses enfrentei retenções às 23 horas no Centro de Niterói. Um horário que ninguém está voltando ou indo trabalhar. A única explicação é o aumento da frota. A cidade não está aguentando”, disse o professor de Física, Amaury Lobo, de 55 anos.

Para o professor da Universidade Federal Fluminense (UFF) e especialista em nas áreas de mobilidade urbana, sistemas de transportes e sistemas rodoviários, Aurélio Lamare Murta, não há solução mágica para o problema no trânsito, mas sim a necessidade de se investir no transporte público de qualidade.

"...no ano de 2010, cerca de 233.530 veículos integravam a frota de Niterói. Nesse ano de 2014, os números subiram para 276.551".


“As medidas implantadas até o momento não são suficientes. Já que falamos do aumento da frota de carros, o ideal é que seja feita uma ampliação na infraestrutura dos transportes e na mobilidade urbana. Coisas como a expansão ou alargamento de ruas e avenidas, melhor sincronia de sinais, construção de mais recuos de ônibus, entre outros. Porém, acredito que o melhor para Niterói seria um sistema de metrôs. Os veículos leves sobre trilhos (VLTs) também são uma opção interessante”, explica o professor.

Apesar do aumento da frota, os mesmos números apontam para um “congelamento” de veículos na cidade. Comparando os dados de 2013 (268.119 veículos) e 2014 (276.551 veículos), o crescimento foi de apenas 3%.

Fonte: A Tribuna




É OURO!!! MARTINE GRAEL E KAHENA KUNZE SÃO CAMPEÃS MUNDIAIS





MARTINE GRAEL E KAHENA KUNZE CONQUISTARAM O CAMPEONATO MUNDIAL DAS CATEGORIAS OLÍMPICAS DE VELA, REALIZADO EM SANTANDER, NO NORTE DA ESPANHA.

Após uma temporada avassaladora, em que vêm liderando o ranking mundial desde o início do ano, incluindo as vitórias na Copa Brasil de Vela, em Niterói, e o Aquece Rio, evento-teste da Rio 2016 realizado na raia olímpica do Rio de Janeiro. As duas competições reuniram as principais velejadoras da classe 49erFX.

Na regata de hoje, a Medal Race (que define a medalha de ouro), as velejadoras brasileiras travaram uma disputa com as dinamarquesas Ida Marie Baad Nielsen e Marie Thusgaard Olsen e levaram a melhor. Precisavam chegar a frente das rivais dinamarquesas e deram conta do recado.

O início da regata não foi bom. As brasileiras largaram em último lugar e foram recuperando terreno ao longo da competição, terminando em terceiro lugar, uma posição a frente das dinamarquesas. O suficiente para a conquista da medalha de ouro!

Martine Grael é mais uma velejadora campeã forjada no Rio Yacht Club (conhecido como Sailing), um pequeno clube de Niterói mas que coleciona títulos mundiais e medalhas olímpicas. Kahena Kunze, velejadora do Rio de Janeiro, amiga de infância de Martine e que uniu-se à niteroiense para a vitoriosa parceria.

Parabéns meninas. Os tios-coruja Axel e Christa estão aqui celebrando e muito orgulhosos.
Parabéns também ao Torben, Andrea, Marco e aos familiares da Kahena.

É OURO!!!!


-------------------------------------------

SAIBA MAIS SOBRE MARTINE E KAHENA

Assista ao vídeo com Torben, Martine e Kahena no Esporte Espetacular
MARTINE GRAEL E KAHENA KUNZE SÃO OURO NO AQUECE RIO
VITÓRIA! Aquece Rio: Martine e Kahena faturam o título na 49erFX
Martine Grael e Kahena Kunze assumem a liderança na Classe 49erFX, no Aquece Rio
Niterói recebe Delegação Brasileira de Vela
Rio Yacht Club é avaliado esta semana pelo COB como base da seleção para os Jogos de 2016
Espírito de grupo: velejadoras se unem por nova medalha feminina nos Jogos
Rio Yacht Club, de Niterói, um dos mais tradicionais clubes náuticos do país, será a base principal da Equipe Brasileira de Vela
Assista à matéria do Bom Dia Brasil com Torben e Martine Grael
Torben Grael admite que lixo em raia olímpica pode definir medalha nos Jogos de 2016
Seleção Brasileira de Vela é apresentada em Niterói
CBVela e COB apresentam nesta terça a equipe que disputa o Evento Teste
Martine e Kahena ditam o ritmo da 49erFX no mundo